Pacientes com cancro interessados em CBD, mas falta conhecimento

Foto: Parentingupstream

Os doentes com cancro estão interessados nos potenciais benefícios do CBD, embora não saibam muito sobre o assunto, de acordo com um estudo recente realizado por investigadores da Universidade de Vanderbilt.

Os entrevistados de um inquérito entre 100 pacientes de uma clínica de cuidados oncológicos de apoio manifestaram interesse no CBD como forma de aliviar sintomas tais como dor descontrolada, depressão e ansiedade.

Mas quando questionados sobre a sua compreensão dos riscos da utilização do CBD, 45% dos participantes estavam inseguros quanto a quaisquer riscos e 17% acreditavam que havia poucos ou nenhuns riscos; 26% dos participantes “relataram incerteza quanto aos alegados benefícios da utilização do CBD”.

Alguns participantes manifestaram preocupação sobre as interacções medicamentosas, a falta de regulamentação da FDA, e as substâncias não rotuladas nos produtos que contêm CBD.

A investigação foi recentemente publicada no Clinical Journal of Oncology Nursing.

Benefícios percepcionados

Os benefícios mais frequentemente percepcionados do CBD entre os entrevistados foram a diminuição da dor, a diminuição da ansiedade, e o alívio das náuseas.

A investigação também verificou que os familiares e amigos são a fonte de informação mais comum sobre o CBD (47%), seguida dos meios de comunicação social (36%), e da televisão (31%). Apenas 13% dos participantes disseram ter tomado conhecimento do CBD através de um prestador de cuidados de saúde.

Os resultados do inquérito podem fornecer aos enfermeiros de oncologia conhecimentos úteis sobre as percepções dos pacientes sobre os benefícios do CBD, e ajudá-los nas discussões com os seus pacientes, sugere o relatório.

“Os enfermeiros de oncologia estão bem posicionados para educar os pacientes sobre a falta de provas para apoiar os usos populares do CBD, possíveis contaminantes, publicidade enganosa, e questões legais”, escreveram os investigadores.

Mas o relatório alerta que “não se podem tirar conclusões absolutas sobre os efeitos da CBD”.